Pesquisar este blog

Meus Vídeos...

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Amor de longe...

E se o amor vier de longe, a vida e os sonhos te darão asas


para voar além do mar da saudade, além de toda distancia...

Distancia que não existe nos olhos e na alma de quem ama...


E se a saudade fizer de teus olhos brotarem lágrimas, deixe-as;

serão elas como a chuva a cair puras no solo de teu peito

adubando o sentimento, alimentando os sonhos, as vontades...


E se houver o cruzar dos olhos, o calar de todas as incertezas,

aproveite cada segundo desse momento, o calor do olhar,

como se fosse o sorver da alma além do toque, além do corpo...


E se houver amor, mesmo que distante, ame por inteiro!..

Faça dos sonhos uma estrada florida e por ela encaminhe a vida

e nas asas do amor deposite a confiança, o elo do verdadeiro sentir...



Anna Carvalho

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Sua indiferença...

Sua indiferença me deixou assim...


Não serei mais chama que consome pastagens...

E se apaga com o vento!

Quero ser brasa incandescente que dele se alimenta...

E devora florestas!

Nem serei nuvem passageira...

Que molha plantações!

Serei tardes de tempestade...

Que avassala e destrói!

Já fui brisa suave,

Que tocou teu rosto,

E acariciou tua pele...

Já fui o pólen da flor,

Que se transformava em mel...

Enfeitei teu dia,

Adocei teus lábios!

Já usei palavras doces

Fazendo poesia

Te enchendo de mimos

Em noites sem sono!

Agora serei abelha ou espinho

A proteger meu eu

Retomo a essência de mim...

Chega de ter você

Como o centro do universo...

Já percebeu que eu existo?

Que tenho um coração!

Que guarda emoções!

Que sempre te pediu tão pouco!

Não... Não percebeu...

Alias... Acho que nem me notou...

Mais agora vai notar!

Vou te ferir como me feriu...

Te ignorar como me ignorou...

Vai sentir falta de mim...

Das coisas que eu te dei

Que ninguém vai te dar

Sabe por quê?

Porque estarei sempre por perto

Na sua lembrança

A te perturbar!

Serei a saudade...

Essa você não vai conseguir ignorar!

***Autor desconhecido....

domingo, 28 de agosto de 2011

Uma história de amor impossível...

Conta a lenda que uma jovem mariposa - de corpo frágil e

alma sensível -

voava ao sabor do vento certa tarde,

quando viu uma estrela muito brilhante, e se apaixonou.

Excitadíssima, voltou imediatamente para casa,

louca para contar à mãe que havia descoberto o que era o

amor...


- Que bobagem! - foi a resposta fria que escutou...

- As estrelas não foram feitas para que as mariposas

possam voar em torno delas. Procure um poste ou um abajur,

e se apaixone por algo assim; para isso nós fomos criadas...


Decepcionada, a mariposa resolveu simplesmente ignorar

o comentário da mãe, e permitiu-se ficar de novo alegre

com a sua descoberta. - Que maravilha poder sonhar!-

pensava...

Na noite seguinte, a estrela continuava no mesmo lugar,

e ela decidiu que iria subir até o céu,

voar em torno daquela luz radiante, e demonstrar seu amor...



Foi muito difícil ir além da altura com a qual estava

acostumada,

mas conseguiu subir alguns metros acima do seu vôo normal...

Entendeu que, se cada dia progredisse um pouquinho,

iria terminar chegando na estrela,

então armou-se de paciência

e começou a tentar vencer a distância que a separava de

seu amor...

Esperava com ansiedade que a noite descesse,

e quando via os primeiros raios da estrela,

batia ansiosamente suas asas em direção ao firmamento...


Sua mãe ficava cada vez mais furiosa:


- Estou muito decepcionada com a minha filha - dizia...

- Todas as suas irmãs, primas e sobrinhas

já têm lindas queimaduras nas asas, provocadas por

lâmpadas!

Só o calor de uma lâmpada é capaz de aquecer o coração

de uma mariposa; você devia deixar de lado estes sonhos

inúteis,

e arranjar um amor que possa atingir...

A jovem mariposa, irritada porque ninguém respeitava o que

sentia,

resolveu sair de casa. Mas, no fundo - como, aliás, sempre

acontece

 - ficou marcada pelas palavras da mãe, e achou que ela

tinha razão...


Por algum tempo, tentou esquecer a estrela

e apaixonar-se pela luz dos abajures de casas suntuosas,

pelas luminárias que mostravam as cores de quadros

magníficos,

pelo fogo das velas que queimavam nas mais belas catedrais

do mundo...

Mas seu coração não conseguia esquecer a estrela, e,

depois de ver que a vida sem o seu verdadeiro amor não

tinha sentido,

resolveu retomar sua caminhada em direção ao céu...


Noite após noite, tentava voar o mais alto possível,

mas quando a manhã chegava, estava com o corpo gelado

e a alma mergulhada na tristeza. Entretanto,

à medida que ia ficando mais velha,

passou a prestar atenção em tudo que via à sua volta.

Lá do alto, podia enxergar as cidades cheias de luzes,

onde provavelmente suas primas, irmãs e sobrinhas

já tinham encontrado um amor. Via as montanhas geladas,

os oceanos com ondas gigantescas,

as nuvens que mudavam de forma a cada minuto...

A mariposa começou a amar cada vez mais sua estrela,

porque era ela quem a empurrava para ver um mundo tão rico

e tão lindo...


Muito tempo se passou, e um belo dia ela resolveu voltar à

sua casa...

Foi então que soube pelos vizinhos que sua mãe, suas

irmãs,

primas e sobrinhas, e todas as mariposas que havia

conhecido

já tinham morrido queimadas nas lâmpadas e nas chamas das

velas,

destruídas pelo amor que julgavam fácil...


A mariposa, embora jamais tenha conseguido chegar à sua

estrela,

viveu muitos anos ainda, descobrindo toda noite algo

diferente

e interessante. E compreendendo que, às vezes,

os amores impossíveis trazem muito mais alegrias

e benefícios que aqueles que estão ao alcance de nossas

mãos...

Autor Desconhecido...

sábado, 27 de agosto de 2011

O lobo solitário...

Esta noite, pela madrugada


Ouvi uma melodia encantada,

Da chorosa guitarra de um trovador.

Foi cantando em sentidas quadras,

Repletas de palavras magoadas

A história de um caso de amor.

Segundo a lenda rezava,

Um pobre lobo solitário

Vivia o mais triste dos fados.

Apaixonou-se pela lua,

Sonhava-a como se fosse sua

E tinha o coração em pedaços.

Correndo à noite pelos montes,

Todos os ribeiros e fontes,

Na esperança de poder tocar-lhe.

Tal era o amor que sentia,

Que mal via raiar o dia

Na sua toca se refugiava.

E quando a noite chegava,

Para a sua amada, ele corria.

Perdido na sua doce loucura,

Cansado de tanto tentar,

Percebeu que à sua bela Lua

Jamais se poderia juntar...

Perdido no seu desespero,

Sentindo apenas a dor,

De não ter seu grande amor,

Ficou-se no monte a chorar...

No uivar rouco trazia os gemidos,

E os versos mais sofridos

De um coração magoado.

Seus lamentos de tão sentidos,

Tão intensamente vividos,

Giraram o mundo inteiro.

E tanto descontentamento,

Tocou bem fundo na alma

De todos os seus companheiros.

Desde então que pelos montes

Não mais teve fim, este legado:

Os lobos seguem uivando à lua,

Como que esconjurando o calvário

De um amor desafortunado...

A história do lobo solitário...

Autor: Paula correia...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Meu coração...

olha só gente eu não poderia deixar de registrar o acontecimento de hoje na minha vida, principalmente porque estou até mais feliz e por dois motivos:

Primeiro motivo: Acabei de chegar do médico, e depois de serem avaliados todos os exames ficou comfirmado, graças a Deus que meu coração está em perfeitas condições.... 

O único problema, que no caso são os batimentos acelerados que quase já me levaram a lona, rsrsrsrs algumas vezes são apenas motivados pelo estado emocional.... Sendo assim só preciso de um remédinho pra deixar o bicho mais relaxado, porque anda muito agitado últimamente esse louco.....rsrsrsrsrs

Segundo motivo: Tô orgulhosa do danado, rsrsrs porque eu sempre disse: Meu coração não é um cavalo manso, e sim um potro selvagem solto no campo....

E hoje tive a comfirmação que o bicho é danadinho mesmo quando sente, sente de verdade sem enrolação, e é assim que gosto de ser e de sentir....

E estou feliz também porque sei que se alguma coisa me acontecer, não será por
doença e sim por carregar em meu coração as emoções, e os sentimentos mais puros
que um ser humano pode ter na vida...

Para concluir nada melhor que ssa frase que explica tudo:

Se for pra viver que seja intensamente, e se for pra morrer que seja de amor......rsrsrsrsrsrsrs

Obs: O amor a que me refiro é o amor pela vida em geral,
e que ninguém é responsável por isso a não ser eu mesma...
Bem explicadinho para que não haja má interpretação em
minhas palavras.....rsrsrsrsrsr

Suelita Debatin.....

Estratégias Mentais...

ESTRATÉGIAS MENTAIS



(O que deve fazer de dentro para fora.)

1. Pense sempre, de forma positiva. Todas as vezes que um pensamento negativo vier à sua cabeça, troque-o por outro! Para isso, é preciso muita disciplina mental. Você não adquire isso do dia para a noite; assim como um “atleta”, tem que treinar muito.

2. Não tenha medo de nada nem de ninguém. O medo é uma das maiores causas das nossas perturbações interiores. Tenha fé em si mesmo. Sentir medo é acreditar que os outros são poderosos. Não dê poder ao próximo.

3. Não se queixe, quando você reclama, tal como um íman, atrai para si toda a carga negativa das suas próprias palavras. A maioria das coisas que acabam dando mal, começam a materializar-se quando nos lamentamos.

4. Risque a palavra “culpa” do seu dicionário. Não se permita ter esta sensação, pois quando nos punimos, abrimos a nossa retaguarda aos espíritos opressores e agressores, que vibram com a nossa melancolia. Ignore-os.

5. Não deixe que interferências externas tumultuem o seu dia a dia. Livre-se das fofocas, comentários maldosos e de gente deprimida. Isto é contagioso. Seja prestativo com quem presta. Sintonize-se com gente positiva e de alto astral.

6. Não se aborreça com facilidade e não dê importância às pequenas coisas. Quando nos irritamos, envenenamos o nosso corpo e a nossa mente. Procure conviver com serenidade e quando tiver vontade de explodir, conte até dez.

7. Viva o presente. O ansioso vive no futuro. O rancoroso, vive no passado. Aproveite o aqui e agora. Nada se repete, tudo passa. Faça o seu dia valer a pena. Não perca tempo com melindres e preocupações, pois só trazem doenças.

8. A água purifica. Sempre que puder vá a praia, ao rio ou a uma cachoeira. Em casa, enquanto toma banho, debaixo do chuveiro, e de olhos fechados, imagine o seu cansaço físico e mental e que toda a carga negativa está indo por água abaixo.

9. Ande descalço sempre que puder, de preferência na terra. Em casa, depois de um longo dia de trabalho, massaje os seus pés com um creme. Escalde-os com água morna. Acrescente um pouco de sal para descarregar.

10. Mantenha contacto com a natureza; tenha em casa, pelo menos, um vaso com uma planta. Cuide dela com carinho. O amor que dedicamos às plantas e aos animais acalma o ser humano e funciona como relaxante natural.

11. Ouça música que o faça cantar e dançar. Seja qual for o seu estilo preferido, a vibração de uma canção tem o poder de nos fazer sentir vivos, aflorando a nossa emoção e abrindo o nosso canal com alegria.

Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina o acomode, que o medo o impeça de tentar.

Liberte-se!!! Sempre que puder livre-se da rotina e saia pela estrada fora, nem que seja por um único dia.

Conheça novos lugares e novas pessoas.

Viva a Vida!!!

Gaste mais horas a realizar, do que a sonhar. A fazer do que planear. A viver do que a esperar.

Porque…

“ Embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.”

O medo afasta-nos das derrotas, mas das vitórias também!!!
 
Autor: desconhecido....

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Penso...

Penso na vida... Ela é passageira.


É bom viver... Penso na vida...


Penso nas pedras sem vida,

penso nos espinhos

que são pedras...


Penso num jardim sem flor,

Penso nas pedras do caminho,

Penso numa vida sem carinho,

Penso num viver sem amor.


Penso num pássaro sem ninho,

carente de calor,

talvez cheio de saudades

do seu amor!


Penso em ti, com emoção,

penso, até nos meus sonhos,

Peço que me tenhas

No teu coração...


Autor Tarcísio Ribeiro Costa.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Poeminha Amoroso....

Este é um poema de amor


tão meigo, tão terno, tão teu...

É uma oferenda aos teus momentos

de luta e de brisa e de céu...

E eu,

quero te servir a poesia

numa concha azul do mar

ou numa cesta de flores do campo...

Talvez tu possas entender o meu amor...

Mas se isso não acontecer,

não importa...

Já está declarado e estampado

nas linhas e entrelinhas

deste pequeno poema,

o verso;

o tão famoso e inesperado verso que

te deixará pasmo, surpreso, perplexo...

eu te amo, perdoa-me, eu te amo...


Cora Coralina

Video...Meu Primeiro vídeo....

Não ficou aquelas coisas mas vou melhorar.....rsrsrsrsrsrs

Video...Para o meu amor...Amor além da vida....Eduardo costa...

Despedida...

Um dia, quando chegar a hora

da sua despedida,

e você tiver que ir embora...

Mesmo que eu sinta profunda tristeza...

Prefiro que não me olhe...



Queria que sua despedida,

fosse como a da tarde em relação ao dia...

Dando lugar à minha lua para enfeitar a noite...

Que depois cede seu lugar ao sol,

para iluminar e aquecer um novo dia...



Queria que sua despedida,

Tivesse a leveza de um botão desabrochando em flor,

Com cor e perfume para alegrar um coração apaixonado...

O mesmo coração que um dia você em mim se plantou...



Queria que sua despedida,

Deixasse em meu coração um lindo jardim,

Com rosas, margaridas, orquídeas...

Plantadas por você e com seu jeito de gostar de mim...



Queria que sua despedida,

Fosse como a calmaria do mar...

Tranqüila, serena sem marolas...

Onde eu possa com minha nau navegar,

Sem sobressaltos



Queria que sua despedida,

Fosse como a corrente dos rios,

Que ao encontrar seu destino, o mar,

Se harmonizam o doce com o sal,

E se desmancham as tristezas e mágoas

Se acaso elas existirem...



Queria que sua despedida,

Fosse como a lua se despede do sol...

Como o dia da noite...

Como as estrelas se vão, apenas deixando de brilhar...

Mas elas sempre estarão lá...



Queria que você, ao se despedir de mim,

Não falasse nada... Não dissesse nada...

Apenas deixe de brilhar e transforme em silêncio...

A certeza de que permanecerá

Eternamente em meu coração...


Jorge Luiz Vargas...

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Amor em paz...

Eu amei...

Eu amei, ai de mim, muito mais

Do que devia amar...

E chorei...

Ao sentir que iria sofrer

E me desesperar...



Foi então...

Que da minha infinita tristeza...

Aconteceu você...

Encontrei em você a razão de viver...

E de amar em paz...

E não sofrer mais...

Nunca mais...

Porque o amor é a coisa mais triste

Quando se desfaz...


Vinícius de Moraes

Gabriel....

Guti, guti amor lindo da tia....Te amo...

Definições...



Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue...

Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta
um capítulo...

Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego...

Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento...

Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa...

Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára...

Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido...

Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista...

Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora...

Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja...

Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento...

Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado...

Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes...

Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração...

Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma...

Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros...

Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia...

Lucidez é um acesso de loucura ao contrário...

Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato...

Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele...

Paixão é quando apesar da palavra ¨perigo¨ o desejo chega e entra...

Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado...

Não... Amor é um exagero... também não...

Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?..

Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação,

Esse negócio de amor, não sei explicar...

Só sei sentir...

sábado, 20 de agosto de 2011

Estrela do Pago ...

Bendita estrela, que brilha

No céu do Rio Grande altaneiro
O teu facho de luz, mensageiro
É o candeeiro da coxilha
É o cincerro da tropilha
Que desgarrou do seu rumo
É uma história, que resumo
Numa charla de galpão
Ao pé, do fogo-de-chão
Solito a campear aprumo

E nas horas de desolo
Das infindas madrugadas
Nas noites enluaradas
É que busco, teu consolo
E meu destino, busco pô-lo
Sempre no teu caminho
Pra nunca andar sozinho
Nesta sina de andante
Pra ter luz, pra seguir adiante
De quem é dona do meu carinho

Te vejo, ao findar sorungo
Em que cheguei de carancho
E pelas frinchas do rancho
Ao dar de mão no porungo
Sorvendo um amargo profundo
Dos mais crioulos do pago
Este mesmo, a que te trago
Nesta payada singela
Já que a cor que te faz bela
É a que me deixa iluminado

És a deusa do amor
Vênus para os romanos
E para os gregos, seus irmanos
És Afrodite, a mesma flor
E para nós, o teu valor
Tu que és bela, qual'ma china
É maior que se imagina
Na própria mitologia
Pois já estavas, aqui no dia
Em que surgimos na campina
Toda vez que a luz do dia
Se entrevera com a noite
Tu repontas, qual açoite
Numa tosca liturgia
E nesta epopéia bravia
Que te reges desde outrora
Tu se perdes, campo fora
Nas lonjuras, no infinito
Pra retornar, despassito
Quando vem raiando a aurora

E nesta sina altaneira
De sentinela, sem luxo
És cincerro do gaúcho
Por toda a campanha inteira
Te chamamos de Boieira
Pelo Rio Grande altaneiro
E te chamam, desde os primeiros
Vênus, na astronomia
Afrodite, na mitologia
E D'alva, no mundo inteiro

Desde o brado charrua
Ao primeiro jesuíta
Da catequese bendita
Ao índio, na pampa nua
Isto tudo se perpetua
Nesta terra de gigantes
Da expulsão dos bandeirantes
Dos primeiros índios guapos
Ao levante dos farrapos
Nestes pagos verdejantes

Pro centauro, foi luzeiro
Pelos campos cisplatinos
Ou pealando correntinos
Como sempre, brasileiro
Tendo o cerne missioneiro
No fundo do coração
Foi a paz, branco pendão
Entre chimangos e maragatos
E também, vestindo trapos
Um bugre, changueando pão

Tu sempre esteves presente
Em nossa epopéia divina
Em nossas peleias brasinas
E entreveros, de muita gente
E apenas se fez ausente
Depois que alvorecia
Ou antes do fim do dia
Pois redemoinhava a lo léo
Ou sesteava pelo céu
Num pelego, de água fria

E teu xucro fogonear
Nesta querência de cima
Se reflete, na retina
Da chinoca, a te bombear
E nas noites de luar
Quando um romance se enlaça
Entre a chinoca e o guasca
Tendo uma nuvem por quincha
Está a D'alva, por uma frincha
Tão atenta, ao que se passa

Estás, desde os alvores
Nas plagas do índio guasca
Desde cedo, fazendo praça
Ao ouvir nossos clamores
Deste rumo aos payadores
E motivos pra compor
Nesta declaração de amor
Que brota meio sem jeito
Do lado esquerdo do peito
Deste humilde, payador

Autor...Paulo Sérgio Boita





sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Você pode...

Deixar-me sempre sozinha,

Sem ver ao vivo seu rosto,

Sem sentir seu perfume,

O gosto dos seus beijos,

Nem o toque das suas mãos...



Deixar-me surda e absurda,

Sem ouvir o som da sua voz,

A encantar meus ouvidos,

A cantar no chuveiro,

Ou assobiar uma canção...



Deixar-me sem saber,

O que tem sido a sua vida,

O que você sonhou ontem,

se pensou em mim hoje,

Ou o que pretende fazer amanhã...



Você só não pode deixar,

Enquanto você viver,

De ser amado por mim,

Santo ou pecador dia...


Porque você será para sempre, o meu amor...



domingo, 14 de agosto de 2011

O que me dói...

O que me dói não é


O que há no coração

Mas essas coisas lindas

Que nunca existirão...



São as formas sem forma

Que passam sem que a dor

As possa conhecer

Ou as sonhar o amor...



São como se a tristeza

Fosse árvore e, uma a uma,

Caíssem suas folhas

Entre o vestígio e a bruma...


Autoria: Fernando Pessoa...

De onde vem o amor???

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Amor perdido...

Amar o perdido


deixa confundido

este coração.



Nada pode o olvido

contra o sem sentido

apelo do Não.



As coisas tangíveis

tornam-se insensíveis

à palma da mão



Mas as coisas findas

muito mais que lindas,

essas ficarão."

Por Ser Intangível...


Morrerei de Amor Porque Te Quero...



Carlos Drumond de Andrade

A Carta...




Escrevo-te estas mal traçadas linhas, meu amor...

Porque veio a saudade visitar meu coração...

Espero que desculpes os meus erros por favor,

nas frases desta carta,

que é uma prova de afeição...

Talvez tu não a leias mas quem sabe até darás,

resposta imediata me chamando de meu bem...

Porém o que me importa,

é confessar-te uma vez mais,

não sei amar na vida mais ninguém...



Tanto tempo faz,

que li no teu olhar...

A vida cor-de-rosa que eu sonhava...

E guardo a impressão

de que já vi passar

Um ano sem te ver,

um ano sem te amar...

Ao me apaixonar,

por ti não reparei

Que tu tivestes só entusiasmo...

E para terminar, amor assinarei

Do sempre, sempre teu...



Renato Russo

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Minha vida é o meu amor...11/08/2010...

Hoje 11/08/2011 faz um ano que conheci o amor da minha vida...
E desde que você surgiu no meu caminho, tornou-se impossível para mim imaginar a vida sem a sua presença constante... Quando você não está por perto me vem uma profunda sensação de vazio, um estranho sentimento de saudade, de total desorientação...


Sem você falta-me o chão, falta-me a segurança que você me transmite através de um simples sorriso de concordância ou consentimento, falta-me sempre a certeza de estar fazendo o mais correto ou o melhor... Sem você também faltam-me o céu e os sonhos... É da sua presença que me vem a inspiração para projetar o futuro ou mesmo a força para ultrapassar as dificuldades cotidianas...

Minha vida é o meu amor... É por ele que eu procuro me fazer melhor a cada dia, é por ele que eu me faço uma pessoa mais carinhosa e gentil, e é nele que meus pulmões encontram a força para respirar e manter-me viva...

Meu amor é alguém especialmente maravilhoso... É nele que eu mais admiro as virtudes... E é ele quem mais me compreende os pecados, vícios e manias que carrego...

Meu amor reconhece nossas afinidades e respeita as nossas diferenças... Sabe me trazer calma e paz... Toca-me a alma com doçura e generosidade, e sem ele o existir não teria mais sentido para mim...

Minha vida é o meu amor... E o meu amor é você...




quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Onde está você???

Será que minha outra metade está por ai?


Deve estar, pois todos dizem que... Ah! Não importa...

Mas se você estiver me ouvindo, ou se realmente você existir...

Presta bem atenção no que meu coração tem pra te dizer...



Não te ofereço todas as estrelas do universo, mas sim a mais reluzente;..

Não te daria apenas alguns momentos de felicidade, mas sim uma vida inteira;..

Não te daria as pequenas coisas da vida, mas sim as mais importantes;..

Não te mostraria os lugares mais belos do mundo, mas sim o paraíso;..

Não faria apenas algumas coisas por você, mas sim tudo que tivesse e o que não estivesse ao meu alcance;..

Não dividiria apenas as mais belas canções contigo, mas sim a mais perfeita de todas...

Se você realmente estiver me ouvindo me diz onde você está?..

Pra eu ir correndo ao seu encontro, olhar em seus olhos e dizer: Te amo...



Em matéria de Felicidade....



Em matéria de felicidade

convém não esquecer

que nos transformamos sempre

naquilo que amamos.



Quem se aceita como é,

doando de si à vida o melhor que tem,

caminha mais facilmente

para ser feliz como espera ser.



A nossa felicidade

será naturalmente proporcional

em relação à felicidade

que fizermos para os outros.



A alegria do próximo

começa muitas vezes no sorriso

que você lhe queira dar.



A felicidade pode exibir-se,

passear,falar

e comunicar-se na vida externa,

mas reside com endereço exato

na consciência tranqüila”.


Autor André Luiz

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Eu não existo sem você...

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim..


Que nada nesse mundo levará você de mim...

Eu sei e você sabe que a distância não existe...

Que todo grande amor,

Só é bem grande se for triste...

Por isso, meu amor,

Não tenha medo de sofrer...

Que todos os caminhos,

Me encaminham pra você...



Assim como o oceano,

Só é belo com luar...

Assim como a canção,

Só tem razão se se cantar...

Assim como uma nuvem,

Só acontece se chover...

Assim como o poeta,

Só é grande se sofrer...

Assim como viver,

Sem ter amor não é viver...

Não há você sem mim,

Eu não existo sem você...



Vinícius de Moraes...